Coração Iluminado || Efésios 1.15-23 || Pr. Leandro Hüttl

Série Expositiva em Efésios
Publicado em 25/08/2021

Introdução

O hino “Rude Cruz”, diz: “Mas eu amo a mensagem da cruz. ‘Té morrer eu a vou proclamar, levarei eu também minha cruz, ‘té por uma coroa trocar...”. O Rev. George Bennard, autor e compositor deste hino, um dos mais amados no mundo inteiro, estava de volta de uma série de conferências evangelísticas nos Estados de Michigan e Nova Iorque, EUA. Estava passando por uma dura provação. Começou a refletir seriamente sobre o significado da cruz, e o que o apóstolo Paulo queria dizer quando falou da "participação dos seus sofrimentos" (Filipenses 3:10). Enquanto Bernnard meditava sobre estas verdades, "se convenceu de que a cruz era muito mais do que um símbolo religioso, era o coração do evangelho. " Foi neste tempo que este hino nasceu.

Ele disse: “A inspiração me veio em um dia em 1913, enquanto estava em Albion, Michigan, EUA. Comecei a escrever Rude Cruz. Compus a melodia primeiro. As palavras completas do hino foram postas [mais tarde] no meu coração em resposta à minha própria necessidade”.

Em 9 de outubro de 1958, aos 85 anos, depois de levar fielmente sua cruz, George Bennard trocou-a por "uma coroa", quando deixou este mundo para voltar à pátria celestial.

O cristianismo hoje, irmãos, está deturpado. A mensagem do Evangelho, corrompida, domingo após domingo, há pastores e igreja anunciando um evangelho que não é o Evangelho do poder de Deus, pois o poder que falam é para buscar a vontade dos homens. Seus convites, pobres, não são diferentes dos cartazes que vemos nos postes, dizendo: “Dona Georgina, trago seu amor de volta em 7 dias” ou qualquer outra promessa de cartomante.

Hoje em dia temos muita Bíblia, mas pouco Evangelho.

Um “evangelho” que coloca sempre o homem no centro, com os interesses seu coração, sem a exposição da vontade de Deus para a vida dos crentes, segundo as Escrituras e não a boa vontade das pessoas. Não basta apenas “boa vontade”, é preciso conhecimento da Verdade.

Desenvolvimento

Por este motivo o Escritura clama ano após ano na era cristã (1.18): “Peço que ele ilumine os olhos do coração de vocês, para que saibam qual é a esperança da vocação de vocês, qual é a riqueza da glória da sua herança nos santos”, existe uma herança cristã, que começamos a desfrutar aqui nesta terra, mas que foi confundida propositalmente ou esquecida acidental e distraidamente. Por isso, precisamos avançar na mensagem da cruz. E se o ES inspirou Paulo a escrever e pedir isso, é porque a mente humana não consegue ver a grandeza e a profundidade das coisas de Deus sozinha, sem a luz de Deus.

Quando você começou a crer em Cristo não tinha noção de tudo o que Deus já tinha feito por você. Por este motivo, Paulo pede a Deus para que o Senhor dê ao coração dos crentes luz a fim de enxergar tantas bênçãos da salvação e o Seu propósito com ela.

Necessitamos da iluminação do Espírito Santo sobre a mensagem de Deus, a Sua Palavra, a fim de entendermos cada dia mais um pouquinho o que Paulo diz mais adiante, no 3.18-19: “que, com todos os santos, vocês possam compreender qual é a largura, o comprimento, a altura e a profundidade e conhecer o amor de Cristo, que excede todo entendimento, para que vocês fiquem cheios de toda a plenitude de Deus”.

Esta precisa ser a mensagem pregada nos púlpitos das igrejas, a fim de edificar os filhos de Deus. Se o Evangelho só for pregado no início e depois tudo na caminhada girar em torno dos desejos dos homens não temos igrejas, nem o propósito divino.

Esta semana eu conversava com uma pessoa que frequentou a vida inteira igreja neopentecostal, e ela me disse: “nunca, nenhum pastor, me disse isso que você está me falando. Eles só conversavam comigo sobre prosperidade e vitórias. Eu queria gravar o que você está falando para ouvir depois”. E eu respondi: “não precisa gravar, esta é a mensagem do Evangelho que deve estar nos púlpitos das igrejas domingo após domingo, a fim de levar os crentes a aprofundarem no poder de Deus”. Que poder é esse? O poder que ressuscitou Jesus dentre os mortos e que hoje lhe deu nova vida espiritual. Nós temos a operação deste poder em nós, para nos santificar e nos fazer sentar nas regiões celestiais acima de todos os demônios e potestades do qual éramos escravos antes, estávamos no reino das trevas, mas fomos transportados para o reino da luz, do Filho do Seu amor. E este poder nos leva a vivermos a uma buscar e uma perseverança em viver na excelência e no padrão de santidade de Deus, deixando cada dia os erros para trás e mantendo o mesmo alvo diário: sermos santos e irrepreensíveis, como Cristo.

Este é o plano de Deus para a sua vida, meu irmão. Não é para ser cabeça e não cauda nos negócios. Alguém quer recuar?

Pare de procurar igreja para cura e dinheiro.

Alguém vai dizer, apressadamente: “Mas Isaías 53 diz que “Ele tomou sobre si nossas enfermidades e levou sobre si nossas dores e que pelas suas pisaduras fomos sarados” (cf. Is 53.4,5).
Primeiro que o texto fala mais que isso. Mas as pessoas só querem ver isso. 

Segundo que o contexto não fala NADA sobre saúde, mas enfermidade moral, espiritual, pelo pecado. É o Israel enfermo, a humanidade decaída. O significado do texto vai crescendo em clareza, mostrando a cura, que é o sacrifício vicário do Messias, ou seja, Ele sofreu em nosso lugar, como a solução para o problema do pecado, expondo a iniciativa divina de transferir o nosso castigo para Jesus, que é, precisamente, o que Paulo está louvando e agradecendo a Deus em Efésios 1.

Outro dirá: “mas o ES me revelou que é cura”. Mas o ES não fala nada diferente da sua própria Palavra, a Palavra é inspirada pelo Espírito.

Entendamos, em amor. Deus pode curar. Sim, sempre! Deus pode ajudar financeiramente: Sim, sempre. Mas, isto como consequência do cuidado que Ele tem com os Seus santos. Jesus não morreu na cruz por sua saúde e prosperidade. Deus já abençoava as pessoas assim antes. Naamã, um estrangeiro, foi curado. O rei Ezequias (Is 38.1-5) e incontáveis outras pessoas na Bíblia. No NT diversas, tem até dom de cura. Mas nada disso é o motivo da cruz.

Quando você usa Isaías 53 para pregar cura tira toda a beleza do texto e a obra do Messias. Pode continuar pregando que Deus cura, porque Ele cura mesmo, mas não use mais Is cap. 53. O contexto fala do Israel enfermo, da humanidade pecaminosa e da lida obra do Messias. Se você insiste com isso, desculpe, mas não entendeu corretamente o Evangelho.

Qual é o motivo da cruz então? O que Paulo está glorificando em Efésios 1. A salvação e ele nos diz que tem mais para conhecermos e nos aprofundarmos, ao termos o coração iluminado pelo Espírito da Verdade, fazendo-nos entender as Escrituras, como estou, humildemente, tentando fazer com você agora, na dependência do Espírito!

Você DEVE orar e pedir a Deus por suas necessidades: emocionais, para a sua família, finanças, saúde, etc. Mas, pare de querer ouvir “palavras” para buscar que as coisas que desejam o seu coração estejam no centro da sua vida. E perigoso. A pregação do Evangelho é para anunciar coisa que Deus tem sobre a salvação e para que Ele, em Sua majestade, seja o centro do seu coração.

É para que sejamos santos e irrepreensíveis diante dEle e para a Sua glória!
Nossa tendência, mesmo depois de salvos, é errada, é ao contrário, por isso, precisamos de um coração iluminado.

Mas, só existe um Evangelho da graça, aquele o qual exaltou o hino “Rude Cruz”, do Rev. Bennard, que, aliás, tem como título original “The old rugged cross”, que numa tradução literal poderia ser “a velha e rude cruz”.

Efésios abre falando sobre as bênçãos do Evangelho, o que o apóstolo Paulo descreve aqui como “as bênçãos espirituais nas regiões celestiais em Cristo” (que tratamos na semana passada e revemos rapidamente aqui). Ele descreve quais são estas bênçãos: ele fala das bênçãos passadas, presente e futuras:

· A bênção espiritual passada: a eleição (Ato eterno e insondável de Deus Pai, pelo qual, em sua soberana vontade Ele decide exercer misericórdia à incontáveis pecadores que seriam alvo da Sua Justiça. Ao invés de Deus dar o que a pessoa merece, o que é um direito que Ele tem, resolve, por graça, exercer misericórdia e desviar Sua ira dos eleitos para a cruz, sobre Cristo).
o A Declaração Doutrinária da CBB, a confissão de fé dos batistas, diz: “Eleição é a escolha feita por Deus, em Cristo, desde a eternidade, de pessoas para a vida eterna, não por qualquer mérito, mas segundo a riqueza da sua graça.”
o A declaração original, quando da fundação da CBB, a “Declaração de Fé das Igrejas Batistas do Brasil”, diz assim: “Cremos que a eleição é eterno propósito de Deus, segundo o qual Ele graciosamente regenera, santifica e salva pecadores... ela exclui completamente a vanglória, e promove humildade, amor, oração, louvor, confiança em Deus... é o alicerce da segurança cristã”.

· A bênção espiritual presente: a redenção, que é quando o Espírito Santo nos convence do pecado, da justiça e do juízo, o novo nascimento, quando ocorre a nossa conversão.

· E a bênção espiritual futura: a esperança pela qual temos o selo do Espírito – seremos resgatados como propriedade eterna do Senhor.

Qual é a intensão do apóstolo com esta oração do texto de hoje? Que possamos entender melhor essas bênçãos!

Conclusão

É pelos motivos que expomos aqui nesta noite que nasce do coração de Paulo esta oração de EF 1.15-23; o texto é todo uma oração. Oração de gratidão, oriunda destas bênçãos espirituais e pelo fato dos irmãos santos e fiéis, a quem ele remeteu a carta (1.1) estarem incluídos. Estes irmãos, além de crerem no Senhor Jesus, estão também amando uns aos outros, como efeito da salvação em suas vidas, o que constitui o perfil de uma igreja genuína de Jesus.

Paulo ora pelo coração dos irmãos. Nós consideramos coração como a parte emocional do ser humano, mas na Bíblia ele representa o ser interior e inclui as emoções, a mente e a vontade. Como tem pessoas recebendo palha para colocar em seu interior ou não absorvendo o pão do céu que lhe é dado. Sim, não adianta estar numa boa igreja, é preciso o seu compromisso pessoal com Deus para ouvir a pregação e ter uma vida devocional, afim de que alma possa ser iluminada para se aprofundar na mensagem do Evangelho. Não se distraia.

O cristão tem uma herança para gozar já aqui na terra. Essa pessoa que eu estava evangelizando esta semana me disse: “meu Deus, como a Palavra de Deus é bela, rica e profunda”. E também “como é difícil chegar a Cristo”. Para a carne de fato sim, mas o impossível para os homens é possível para Deus.
Há pessoas que não foram corretamente evangelizadas ou discipuladas. É preciso “desevangelizar” as pessoas com o falso evangelho e evangelizar com o verdadeiro. Além disso, há cristãos sinceros que infelizmente não seguem um bom discipulado. E a culpa maior não é deles, mas de quem os ensina. A igreja precisa sair deste estágio, de rodear este monte, como Israel no deserto e prosseguir para as riquezas de Cristo, que nos fez sermos salvos e libertos do poder do diabo: ouvir mais o Evangelho em cada pregação.

Que esta seja a sua sede para ser fiel, em Nome de Jesus, Amém.

Pr Leandro Hüttl

Compartilhe em suas redes sociais

Endereço

Rua Planalto esquina com Rua 13, Qd. 23A, Lts. 4 e 5 – Conjunto Riviera – Goiânia – GO – CEP 74730-080

Entre em Contato

Envie um WhatsApp!

(62) 3284-4748

secretaria@batistabetel.org

Política de privacidade

Formulário de Direito dos Titulares

Siga-nos

Prover ® 2021. Todos os direitos reservados.