Pregação – Páscoa, quarentena e pecado | 2 Samuel 11.1-17

“Então Natã disse a Davi: “Você é esse homem! Assim diz o SENHOR, o Deus de Israel: ‘Eu o ungi rei de Israel e o livrei das mãos de Saul”

2 Samuel 12.7

Quem nós somos à parte da graça de Deus?

Você e eu somos este indivíduo do versículo acima e da mensagem abaixo, à parte da graça. Assista:

Até este ponto da narrativa do livro de 2 Samuel (11.1-17), Davi é retratado como um homem fiel, segundo o coração de Deus.

O livro começa com ele se lamentando pela morte do Rei, que tentou matá-lo diversas vezes.

Depois, mostra a sua ascensão ao trono de Judá e posteriormente de todo Israel.

Mesmo em meio à muitas guerras, luta pelo poder e pecado, ele mantém sua postura de chegar ao trono com justiça, debaixo da Palavra de Deus, pela mão de Deus e do jeito de Deus.

Reprova aquilo que é errado e se dedica à praticar a justiça.

Em 2SM 5.10, lemos: “Davi foi se tornando cada vez mais poderoso, pois o SENHOR, o Deus dos Exércitos, estava com ele”.

No v. 12. Lemos: “E Davi compreendeu que o SENHOR o havia confirmado como rei sobre Israel e exaltado seu reino por causa de seu povo, Israel”.

Ele tem todo o respeito pela religião, inclusive aprendendo com seus erros, como no episódio em que transportou de maneira errada a arca. Davi aprende humildemente com seus erros e se submete à Palavra de Deus.

Ele quis até mesmo construir um templo para Deus, consultou e foi apoiado pelo profeta Natã, mas depois Deus frustrou os planos do Rei Davi e mostrou que sua vontade era outra. Davi não se ira contra Deus, não apresenta nenhum orgulho de querer fazer as coisas do seu jeito, acata e agradece a Deus pelo cuidado e pelos planos que eram outros, melhores, inclusive (os planos de Deus sempre são melhores).

Deus daria a ele uma dinastia, mostrando que os atos do seu reino iriam para além do seu tempo. Davi então se amolda a Deus e passa a preparar recursos para seu filho construir este templo – que ele nunca veria e não seria uma realização do seu reinado. Tudo para a glória de Deus.

Ele continua sendo vitorioso nas guerras e honra sua palavra de homem dado ao filho do monarca anterior, Jonatas, restituindo patrimônio e dignidade ao filho do amigo. Outro rei teria mandado matar qualquer herdeiro da casa real anterior.

Mas, o que a Bíblia precisava mostrar também é quem era Davi a parte de Deus. Entregue a si mesmo e à sua natureza pecaminosa, sem leva-la a Deus, como ele fez muitas vezes nos salmos, sem orar, e confessar – o que fazia dele um homem segundo o coração de Deus.

Como todos os homens da Bíblia, este homem acima de qualquer suspeita, que chega ao ponto de honrar o descendente de quem queria lhe tirar a vida, pecou. E pecou feito.

No começo do ano (entre março e abrir pelo antigo calendário lunar, agora, por estes dias) Davi deveria ir a guerra, mas prefere descansar.

O descanso não é desencorajado pelas Escrituras, pelo contrário, o próprio Deus dá este exemplo num mundo que ainda não havia sido manchado pelo pecado humano. A lei divina prescreve um dia de descanso, o NT registra o domingo como dia do Senhor, dia de descanso, mas consagrado a adoração. A história eclesiástica confirma este costume e nossa prática atual ainda preserva o mesmo princípio.

O problema não era Davi descansar. Veja, ele devia estar de certo modo descansado, pois, vinha de um período de chuvas, onde os reis não costumavam lutar. No início do ano deles, o tempo começava a firmar e as batalhas continuavam. Davi provavelmente não estava cansado.

Ele tinha nesta época, segundo os estudiosos, provavelmente, cerca de 50 anos. Mesmo não tendo mais a força de um jovem guerreiro para entrar frontalmente em batalha, sua presença seria vital, para ajudar a traçar estratégia e principalmente, para elevar o moral dos seus homens.

Seja por qual motivo Davi não tenha ido, o problema maior foi a inutilidade do seu tempo. Os servos de Deus precisam ocupar sua mente, tempo e ações, sempre, com coisas úteis.

Com isso não estou dizendo que precisamos produzir ativismo. Estou dizendo que devemos praticar o que a Palavra de Deus:

“Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o pensamento de vocês” (Filipenses 4:8).

Mesmo quando descansamos, nosso pensamento deve estar voltado para a Verdade. Mesmo quando nos divertimos, devemos fazer tudo para a glória de Deus.

Mesmo quando vemos um filme secular, devemos estar com o filtro mental ligado, segundo as Escrituras, com uma visão crítica da mensagem que o autor pretende passar.

Mesmo no lazer, não deixamos de viver para Deus.

O que Davi permitiu foi deixar sua mente se afastar da Verdade.

O cristão precisa ter uma vida útil.

E neste ponto eu faço uma pergunta para você: como você está usando o tempo da quarentena a qual todos estamos submetidos para evitar a contaminação do novo Coronavírus?

Quero chamar a sua atenção para a verdade de que você pode cair no mesmo erro de Davi.

Tiago 1:14,15, diz: “… cada um é tentado pela sua própria cobiça, quando esta o atrai e seduz. Então a cobiça, depois de haver concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, uma vez consumado, gera a morte”.

De fato foi esta realidade que Davi enfrentou. E nós temos mais da Palavra de Deus do que ele, além da obra da cruz, do tempo da graça. Nossa ajuda é maior, mas nossa responsabilidade também.

As consequências de um pecado, mesmo perdoado, trazem consigo tristeza amarga e profunda, porque, como diz Gálatas 6:7: “Não se enganem: de Deus não se zomba. Pois aquilo que a pessoa semear, isso também colherá”.

Deus não deixará de ser justo com ninguém. Nem mesmo com Davi, um homem de uma ficha e histórico espiritual recomendável e uma referência para seus irmãos, deixou de colher o que plantou.

Deus perdoará, ou seja, a pessoa não será condenada pelo pecado. Não se trata de perdão divino, mas de enfrentar as consequências de suas escolhas.

A ociosidade só fez mal e despertou o pecado em Davi. Você corre este mesmo risco na quarentena.

Você não está de férias espirituais, isso não existe e nem sequer é algo desejado por um salvo.

Saiba que você é capaz de cometer as piores coisas se começar a ceder o pecado, “quando ninguém está olhando”.

No v.4, lemos assim: “Então Davi enviou mensageiros para que a trouxessem, e teve relações com ela”.

Aqui a gente vê quem é Davi: um homem como outro qualquer. O diferencial sempre foi a graça de Deus na vida dele.

Nos dias de hoje, Davi ou qualquer um, poderia estar com um celular na mão e decidir se entregar às fantasias da pornografia.

Não ache que este é um pecado somente masculino, embora seja predominantemente. Mas, mulheres também podem se entregar a inutilidade, ocupando-se demasiadamente com sua aparência, futilidades, fofocas da vida alheira, alimentando constantemente seu ego, como inúmeras delas fazem nas redes sociais.

Percebi, nas notícias veiculadas na internet, o quanto tem se mantido as chamadas para a vida alheia: “o que fez agora Megan Markle”, “o que o cantor tal falou do short da fulana de tal na live que ela fez”, “os cantores sertanejos estão ostentando em suas lives” e por aí vai.

Sem o capacete da salvação, não pensamos como criaturas salvas. Todos podemos nos deparar com pessoas atraentes pessoalmente, na TV ou internet. Com notícias tentadoras. Com links maliciosos. O problema maior é alimentar nossa imaginação com isso. É um caminho para procurar problemas.

Não investigue sobre o pecado e nem fique flertando em “como seria”, ao invés disso, ore a Deus, fuja da situação em sua mente, lembrando da Palavra e pessoalmente, se for possível.

O oposto disso é um declínio moral. Do que adianta sair desta quarentena sem o vírus, mas com as consequências do pecado?

E não olhe somente para Davi aqui. Saiba que há inúmeras armadilhas preparadas para você, cristão.

Olhe para Bate-Seba. Não vemos nenhuma resistência dela. Claro, era o Rei, mas, ela poderia ter dito alguma coisa, mas a Bíblia não registra nada.

Outra coisa: ela havia acabado de sair do período menstrual, portanto estava fértil, por qual motivo foi banhar-se à lus do dia do terraço, nua?

O marido estava viajando, na guerra, no cumprimento do dever cívico, lutando pela segurança nacional, o que a incluía nisso. Ela estava segura, porém, carente, sem o marido, sentindo-se apta para o relação sexual, seu banho público, era um convite a qualquer homem que a visse naquele estado.

Ela também conhecia a lei de Deus. Parece não ter sido tão vítima assim. Não se engane: homens e mulheres são pecadores.

Ambos desfrutaram do prazer do pecado, e das amarguras da consequência. Bate-seba perdeu seu marido e o filho do seu ventre. Davi além de perder o filho teve uma trajetória muito distinta da anterior.

A princípio, depois do pecado de cobiçar a mulher do próximo e adulterar, ficou tudo bem. Davi se satisfez com seu pecado. Mas o desepero logo lhe veio a mente. O que o levou a loucuras ainda maiores.

Seu coração estava mais embrutecido. Aí mesmo que não procurou ao Senhor. Vergonha, medo, orgulho… o que será que se passou no coração do rei?

Seu plano foi chamar o marido traído para ter relações com a mulher e encobrir o seu pecado. Ele usaria o inocente para se livrar disso. O pecado cega: será que ele achava que o Deus que o viu atrás dos rebanhos do pai e o tirou de lá para fazer dele rei, não veria esta cena?

Mas, Deus está em silencio ate aqui. Deus dá a sua Palavra, e coloca a Sua Pessoa, com graça, para nos ajudar a cumpri-la através da oração. Mas, quando não fazemos isso, não podemos zombar dele, vamos colher.

Deus não “alivia um “amigo””, justamente porque Ele é nosso amigo real. Um amigo do mundo encoberta outro, mas isso não é amizade, mas inimizade contra Deus.

Davi só não contava com o caráter e honra do seu soldado. Ele se recusa a comer, beber e se alegrar com sua mulher enquanto a guerra acontecia, a arca de Deus estava lá e seus compatriotas corriam risco.

Que focada no ego do Davi ocioso isso deve ter sido! Urias foi a antítese de Davi. Guerreiro, comprometido e não priorizou seu prazer sexual.

Davi o manda matar, expondo-o a uma situação de guerra que sabia em que ele pereceria, mas outros homens morreram juntos e pagaram pelo momento de prazer sexual de Davi. À parte da graça de Deus, nenhum de nós sobrevive espiritualmente.

Davi “dá uma de piedoso” depois, “lamenta” a morte dos homens que mandou matar por meio de suas ordens como rei.

Davi chega no fundo do poço, quando toma a viúva como esposa. Então Deus fala.

O repreende, usando seu próprio histórico de justiça para fazer com que Davi condenasse a si mesmo e a sua insensatez.

Expõe a Davi que não havia necessidade de nada daquilo, que Davi foi grandemente provido e abençoado por Deus, que fez daquele menino um rei.

Sua sentença incluía o desprezo à Palavra de Deus, ingratidão, assassinato, adultério e Deus repreende fortemente o fato de Davi ter tomado a mulher para si, perpetuando sua cobiça por ela. Mas Deus não impediu.

Davi colhe tudo o que plantou, em medida muito maior, como é a colheita. Parece que os danos não serão graves se eu somente colocar na terra uma semente do pecado para me satisfazer.

Mas, aquela semente germinará e me tratá muitos frutos segundo a sua espécie.

Davi colheu morte, porque matou. Colheu desgraça em sua família, porque desgraçou uma. Colheu imoralidade pública em quantidade maior, com seu filho possuindo suas concubinas em público. O pecado foi maior e a semente plantada em oculto dá fruto à luz do dia.

Ele colhe ainda traição, por traiçoeiro que foi. Teve que fugir da espada, ver mais um filho morrer. A partir de então, houve uma séria de caos na sua família e em seu governo.

Tudo por um momento de prazer. Um pequeno momento, só um. Só uma vez. É tudo o que o diabo quer para você plantar aquilo que vai colher.

Deus não impediu Davi e não vai impedir você. Ele deu a Palavra, o seu filho, o Espírito Santo, a Bíblia, a igreja, a pregação, a promessa de estar conosco.

Davi se arrependeu, foi perdoado e não condenado, Deus foi com ele até o fim, não o abandonou, cumpriu a promessa de dinastia, com grande misericórdia. Mas a vida não foi mais a mesma.

Quais serão suas escolhas neste período de quarentena? Como você quer continuar a sua história? Amando a Deus ou o pecado? Buscando a graça e os méritos de Jesus Cristo em nosso favor, que nos possibilita lutar e vencer o pecado, ou dar uma oportunidade ao erro. Só uma vez. Todo mundo faz.

Que a graça e a misericórdia nos alcance…

Jesus é a nossa páscoa. Ele é o cordeiro que tira o pecado do mundo.

O nome Páscoa é de origem hebraica, da palavra Pessach que significa “passagem”, e leva esse nome pois antes de ser a festa da ressureição.

Jesus nos transportou das trevas o Reino do Seu amor.

Não queira a experiência de Davi, agindo na força do seu braço , sem Deus, sem arrependimento e fé. Um homem que haja assim não daria vitorias ao povo do Senhor. Sempre foi Deus na vida dele.

Davi vai colocando para fora a maldade do seu coração . Ele se arrependeu depois, mas ficou com as consequências . Pense nas consequências e não apenas que pode ser perdoado, quando tentado a premeditar o mal. Faça o que Davi não fez, vá antes ao Senhor. Você precisará que ir de qualquer forma, então vá antes e para não pecar e não ficar com as consequências na vida.

Chore antes e não depois. Jesus ressuscitou e vivo está. Nós nascemos de novo por causa da Sua ressurreição. Páscoa é santidade, vida para Deus. O ano inteiro.

Que a graça nos ajude, em Nome de Jesus, amém.

Pr. Leandro Hüttl

Se a mensagem lhe edificou, compartilhe.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close