Pregação – Meus irmãos como meio de graça | Gálatas 6.2

INTRODUÇÃO

Uma das maiores bênçãos que Deus nos deu depois da nova vida em Cristo Jesus, foi a igreja. Ela é o grande espaço de aprendizado de relacionamento com outras pessoas, suas qualidades e seus defeitos, tudo dependendo da graça de Deus.

EF 1.22-23

A igreja de Cristo, no seu sentido mais amplo é o conjunto de pessoas regeneradas em todos os tempos e épocas e no sentido estrito é o Corpo local, nossa comunidade de fé.

Este é o entendimento da igreja como um organismo; um organismo vivo, com a vida concedida por Cristo. A igreja é um corpo espiritual, constituído apenas pelos regenerados pelo Espírito de Deus. Fazemos parte deste organismo – Cl 1.18

O teólogo Batista Augustus Strong diz o seguinte: “O corpo de Cristo é organismo ao qual ele dá vida espiritual e através do qual Ele manifesta a plenitude do seu poder e graça”.

Não apenas recebemos, mas também devemos ser instrumentos da graça de Deus. Vivemos uma experiência chamada de “interdependência”: ou seja, eu preciso de você e você precisa de mim – não há cristão isolado, nem independente, que não precise dos demais para crescer.

O que Deus pensou foi num corpo que se fortalece e não em “super crentes” individuais. Além disso, os seres humanos sempre precisarão uns dos outros, e entre os filhos de Deus isso não é diferente.

I – O QUE É INTERDEPENDÊNCIA

Interdependência: substantivo feminino, estado ou qualidade de duas pessoas ou coisas ligadas entre si por uma recíproca dependência,  em virtude da qual realizam as mesmas finalidades pelo auxílio mútuo ou coadjuvação recíproca.

Seu irmão e sua irmã são bênçãos de Deus que podem trazer em suas vidas algumas respostas que você tanto aguarda de Deus. E você pode ser canal de bênção e instrumento na vida de seus irmãos.

Mas, para desfrutarmos desta bênção de Deus, são necessárias duas condições:

1ª) As pessoas têm que estar ligadas. Precisa haver ligação para que um possa depender do outro. Não posso oferecer apoio e nem receber se não houver relacionamento. E, no caso do povo de Deus, o sangue de Jesus quebrou barreiras e promoveu esta união. Já somos ligados, precisamos agora estreitar os laços com SABEDORIA. Aproximar-se das pessoas é uma arte.

Mas, a grande diferença e que em nossa interdependência cristã não participamos somente nós. Não somos nós que estamos construindo a irmandade cristã, a igreja, o serviço cristão. Não. Deus participa desta interdependência, nos abençoando, guiando e cuidando de nós. Sobretudo nos dando a fé em Seu Filho e Sua obra, mudando nosso coração e nossa natureza.

2ª) A própria dependência. Notemos que essa condição coloca os cristãos em pé de igualdade.  Não existe um irmão mais independente do que o outro. Deus não colocou algumas pessoas na igreja com a posição “privilegiada” de não precisar do corpo de Cristo. O que existe são diferenças de dons, personalidades, necessidades, ponto de vista, mas essas diferenças não retiram de ninguém a interdependência.

Vamos observar o contexto do nosso texto: Gálatas 6:1-3

Ficou mais claro?Agora veja que interdependência coloca as coisas num nível igual. Assim, não há motivo para vanglória, mas há todo espaço para a humildade cristã e caminho aberto para os relacionamentos. Ficamos lutando sozinhos com muitos problemas, enquanto o padrão bíblico é ajudarmos a levar os fardos uns dos outros.

Ex: você tem problemas? Sente frustrações? Dificuldades na própria experiência de estar vivo(a)? Uma novidade: a pessoa que está ao seu lado sente as mesmas coisas! Vamos mais adiante: olhe o mundo a seu redor. Ele é outro, não é o mesmo de 15, 20 anos atrás. Isso lhe assusta de vez em quando? Ao seu irmão também. Você sente que precisa lidar com esse mundo novo de maneira diferente, mas às vezes não sabe como? Seu irmão e as pessoas ao seu redor também não sabem em várias situações.

Buscamos constantemente a Deus, e a resposta pode vir através de alguma pessoa – de um irmão ou irmã em Cristo -, que são meios de graça para você e para mim. Basta ver que para responder a oração dos israelitas escravos no Egito Deus mandou uma pessoa, Moisés. Para resolver nosso problema eterno do pecado, Ele se fez ser humano em Cristo.

Sua família tem passado por adversidades? Os seus irmãos em Cristo, de todas as igrejas e comunidades também. Isso são fardos. E é nisso que Deus quer que caminhemos juntos. Como irmãos, como amigos, como companheiros. Isso é fé cristã também.

São várias as coisas que trabalham com o fim nos tirar a estabilidade e abater, a nós, crentes, mas são vários os irmãos que buscam a Deus, assim como você – e desta forma também podem lhe dar uma palavra de ânimo, esperança, fé, e compartilhar uma experiência – esta é parte da força dada, pela graça, para uma comunidade cristã caminhar bem, mas que nem sempre aproveitamos.

Deus pode lhe ajudar diretamente, o pastor pode lhe ajudar como quem guia o rebanho, mas, a comunidade também tem o seu papel – e não podemos desperdiçar bênçãos de Deus! Você é uma bênção para o seu irmão e seu irmão é uma bênção para você. Mesmo com as limitações e defeitos que temos, Deus está trabalhando  em Seu povo por meio deste próprio povo redimido.

São muitas as fontes de problemas que enfrentamos, sobretudo na modernidade liquida que vivemos, e é importante tenhamos também muitas fontes de ajuda e soluções. Os irmãos como meio de graça é algo importante que deve ser experimentado pela igreja do Senhor Jesus. A comunidade nos influencia e nós a influenciamos. Todos têm um papel bíblico neste processo – e não somente Deus e o pastor.

A mesma necessidade que a igreja tem de ser instrumento de Deus para EVANGELIZAR no  mundo, é exatamente a mesma de ser instrumento de SANTIFICAÇÃO para os que já creram. Nossa interdependência tem um motivo só: a santidade, crescermos para Aquele que fomos separados. Não panelinhas, jamais a carnalidade.  Nunca intrigas, fofocas, muito menos imoralidade entre os crentes.

A interdependência, por fim, exige um propósito, um objetivo. No caso bíblico é a edificação, a perseverança dos santos na fé uma vez abraçada. Refere-se ao nosso processo de santificação, a luta contra o pecado.

II – O QUE NÃO É INTERDEPENDÊNCIA           

Na esfera da igreja, do relacionamento entre os crentes, há uma confusão comum que precisa ser esclarecida e resolvida. Muitos crentes não conseguem construir uma base espiritual madura, mesmo salvos, porque estão demasiadamente ligados às suas emoções e não à sua espiritualidade.

Muitos cristãos ficam remoendo problemas com sua família, amigos, conhecidos e com os irmãos da igreja. Alguns absorvem os problemas de outras pessoas e famílias.

Ex: Aconteceu um problema enorme numa família. Ao invés da pessoa se compadecer e chorar com quem chora, ela absorve toda aquela emoção do outro e passa a remoer aquilo como se fosse seu. Isso é errado. O bíblico é chorar com a pessoa e não no lugar dela – o indivíduo precisa viver a sua experiência. Com a ajuda de outro é melhor, mas a experiência ainda é do indivíduo.

O(A) irmão(ã) vai passar pelo seu momento de dor e Deus lhe dará graça. Ou será que nós é que vamos capacitar alguém? Poderíamos nós levar o peso da vida de uma pessoa, sozinhos, no lugar dela? Não, isso não é bíblico. Bíblico é ajudar a pessoa a viver a vida dela, o que pode ser difícil em momentos de dor. Então o próximo pode ser um bálsamo para nossa alma, um verdadeiro instrumento de Deus. Há amigos mais chegados que irmão. Mas a vida ainda é do indivíduo. Uma grande ajuda é, por exemplo, apoiar as pessoas a assumirem as suas responsabilidades e não tirar delas a oportunidade de crescer.

Separe: o sentimento que é seu, é seu; o sentimento que é do outro é do outro. Tem gente que para a vida por causa dos problemas dos outros. Você sabia que isso não é bíblico?

“Porque cada qual levará a sua própria carga” (Gálatas 6.5).

Nós podemos ajudar a levar as cargas, mas jamais, nunca, carregar a carga dos outros! Isso jamais! Você não tem estrutura para levar a vida do outro. Isso sufocará a sua. Isso é transitar em áreas fora da Palavra de Deus.

O melhor caminho:

1 – Sinta (emoções) no limite da Palavra de Deus;

2 – Separe o que é seu e o que é do outro com o limite da Palavra de Deus.

3 – Ajude, mas não transfira para você.

No mundo é assim: cada um por si ou joga-se a carga em cima de outra pessoa. (extremos, não siga isso!). Na igreja levamos as cargas uns dos outros como AJUDA! Até porque quem recebe graça para enfrentar aquele desafio é a pessoa que está com ele na mão para viver.

Cada um deve levar a sua cruz: “E qualquer que não levar a sua cruz, e não vier após mim, não pode ser meu discípulo.” (Lucas  14:27).

Se não for assim não é interdependência. É simbiose. Simbiose é um relacionamento onde as pessoas não dependem uma da outra reciprocamente, elas, num sentido emocional, “são a mesma pessoa”.

Olhando para este relacionamento fica difícil você se enxergar, isso acontece com pais e filhos, amigos e até entre marido e mulher. Não há limite, não há identidade. Isso envenena a alma. Na interdependência há identidade, tanto que um precisa do outro e o outro precisa do um, porém, as identidades são diferentes e os limites são preservados, mas acontece o apoio mútuo. Isso é meio de graça.

Você não pode misturar as coisas, fazer dos sentimentos uma sopa! Somos um corpo, mas cada um é um membro (a ideia é união com identidade). Separe o que é seu com o que é do outro. Até porque, no dia do juízo, prestaremos contas individualmente a Deus, ninguém será julgado junto com outra pessoa. Nem casais, porque depois da morte os casamentos acabam.

Diante de Deus haverá indivíduos e as suas escolhas. Quando você estiver diante do problema de um amigo, um conhecido, um irmão, não seja egoísta e nem sentimentalista. Seja bíblico: ajude, mas não tome para si. Isso vai fazer bem para suas emoções e da outra pessoa também! Todos crescem. Ajudar é muito bom, tanto quanto ser ajudado.

Gálatas 6 mostra ajuda mútua como um padrão para o cristianismo; mas também responsabilidade pessoal e individual.

CONCLUSÃO / APLICAÇÃO           

Na interdependência não se confunde:

1. A identidade

2. O conteúdo (sentimento)

3. A responsabilidade

A igreja é um grande laboratório sobre como nos relacionarmos com as pessoas, na dependência de Jesus Cristo e segundo o seu Evangelho.

Deus nos programou para sermos interdependentes. Não se isole, não seja uma ilha.  Deus colocou riquezas em você para serem levadas a outros irmãos. E Deus tem graça para sua vida através de outras pessoas.

Guarde uma coisa no seu coração: Deus gosta de usar pessoas para cumprir Seus  propósitos. A maior prova foi ter enviado o Seu filho ao mundo como um ser humano para nos dar a maior vitória de todas, a principal, que foi a nossa Salvação.

Ame os seus irmãos e seja amado por eles! Deus quer abençoar a igreja!

Que Deus nos ajude, em Nome de Jesus, amém.

Pr. Leandro Hüttl
E-mail: prleandro.hd@gmail.com

Baixe esta mensagem no formato A4 em PDF:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close